• Post author:
  • Post category:Medicina

Descubra se você pode estar causando um mal à sua saúde sem saber.

Muitas pessoas falam sobre o congelamento de alimentos para acabar com as bactérias presentes neles. Seja carne, frango ou legumes, essa é uma discussão que rende muito: será que, ao colocar o alimento no refrigerador, estou seguro(a) em relação às bactérias?

A resposta não é tão simples, pois passa por diversos estudos científicos e experimentos feitos ao longo dos anos. Mas o que ficou claro é que, sim, o congelamento pode diminuir a quantidade de bactérias e até matá-las, porém, isso não é o suficiente para que você esteja protegido na hora de cozinhar os alimentos. Confira o artigo para entender esta questão.

Por que as bactérias são prejudicadas no congelamento?

congelar bacterias mata

Quando os microrganismos são expostos a baixas temperaturas, como a do refrigerador, de 0ºC a -7ºC, as reações químicas e biológicas são retardadas, ou seja, diminuem. Isso porque o calor é um acelerador de reações, logo a ausência dele faz com que as bactérias não consigam reagir.

O que isso quer dizer é que elas não conseguem fazer as ações fundamentais para viver, como se reproduzir, e, com o tempo, podem morrer. Mas isso vai depender do tipo de bactéria, do meio em que ela está (se é seco ou molhado), da temperatura em si e até do tempo de resfriamento. Cada microrganismo tem um ciclo de vida, por isso, não podemos generalizar nenhum dos fatores.

Além disso, vale falar também que nem sempre apenas um congelamento é suficiente para matar a colônia de bactérias. Em alguns casos é preciso que haja vários ciclos de congelamento, causando o chamado “estresse celular”, para que elas não resistam.

Quando colocamos um alimento em processo de congelamento, diversas alterações acontecem nas estruturas celulares dos microrganismos. Alguns desses processos podem, inclusive, danificar de forma irreversível a bactéria. Por isso, o congelamento é visto como um mecanismo bactericida.

Porém, algumas bactérias têm capacidade de regeneração. Ou seja, por mais que estejam congeladas, podem estar somente “adormecidas” e, ao terem contato com a temperatura ambiente de novo, podem voltar a atuar.

Não confie 100% no congelamento

Por isso, é preciso deixar claro que o congelamento não é a melhor técnica para matar completamente os microrganismos. Além de alguns serem regenerativos, há também o fato de que nem sempre o congelamento irá matar todas as bactérias.

Dessa forma, pode ser que 90% estejam realmente mortas, mas ainda existem 10% vivas. E esta pequena porcentagem ainda conseguirá se reproduzir e proliferar no alimento em questão. E se o congelamento tiver sido feito há poucos dias, a chance de a maioria ainda estar presente é muito grande, pois demora um certo tempo para que as bactérias comecem realmente a morrer.

Então, use o congelamento como uma das formas de reduzir o número de bactérias, mas não confie totalmente nele como método. Lave os alimentos e cozinhe bem cada um para diminuir as chances de contaminação.

Dicas extras para dar fim às bactérias

Saiba quais outros métodos podem ser eficazes para evitar contaminações através dos alimentos.

  1. Cheque sempre o prazo de validade dos alimentos. Além disso, confira como estão a aparência, a consistência e o cheiro do produto.
  2. Antes de usar os utensílios para preparar a comida, lave-os bem.
  3. Limpe as mãos com sabão ou álcool antes de começar a cozinhar.
  4. Sempre guarde os alimentos de forma adequada. Se possível, congele-os.
  5. Cozinhe completamente carnes, frango, peixes e ovos a 60ºC.
  6. Se for reutilizar alimentos que estavam guardados, cozinhe-os a 70ºC.
  7. Armazene alimentos crus em locais separados dos cozidos para que, caso haja bactéria em algum deles, não passe para os outros.
  8. Evite consumir pratos mal cozidos ou crus, além daqueles com qualidade duvidosa.